Chevrolet Tigra durou pouco, mas conquistou muitos fãs



Na Europa, os anos 1990 foram de muitas fabricações de carros variados com carroceria cupê cupê. A marca Fiat, por exemplo, tirou ideia do tipo para fabricar o estiloso Coupé. A marca Ford usava o projeto do Fiesta no valente Puma.

Já o Mondeo teve talento para criar o Cougar. Do outro lado, na Opel, o Corsa dava procedência ao Tigra e o Vectra ao Calibra. Saindo da Europa e vindo para o Brasil, o Corsa GSi estava tendo seu fim e deixava os seus fãs órfãos de esportivos.



Em 1993, no Salão de Frankfurt aparecia o conceito Tigra pela primeira vez. Era inspirado na récem-lançada segunda geração do Opel Corsa, e destacava-se por ter um visual ousado. O cupê possuía um grande vidro traseiro curvado, deixando-o com extrema personalidade.

O interior tinha sua base no Corsa, com poucas modificações, como o volante de três raios, acabamento mais elegante e configuração de 2+2 lugares. Os motores exibiam-se no 1.4, 16V de 90 cv ou a opção do 1.6, 16V de 106 cv.



A Chevrolet, em 1996, retirou o Corsa GSi das ruas, mas em pouco tempo lançou o Tigra aqui no Brasil. Logo depois, foi importado, mas não durou muito por causa do seu alto valor no mercado. Lá fora o Tigra também era mais ousado que o nosso: tinha freios ABS e airbags frontais, além das rodas que eram de aro 15, a nossa de aro 14.

Hoje é quase impossível ver o Tigra acelerando pelas ruas. Apenas 2.652 unidades foram importadas e, depois de tantos anos, é difícil encontrar algum, ainda mais em bom estado de conservação. Contudo, mesmo pelo preço alto da época e do seu pouco tempo de vida, o Tigra é relembrado com muito carinho pelos fãs. O automóvel conseguiu conquistar muitas pessoas naquela época.

Leia também:  Chevrolet Cruze 2015 recebeu novas mudanças no design

Em 2004, depois do seu fim também na Europa, Opel lançou o Tigra Twin Top tentando ressuscitar o velho Tigra. Ele passou a ser considerado um cupê conversível, de capota rígida, com dois lugares fundamentado na terceira geração do Corsa.

Diferente do seu antecessor, o Tigra Twin Top não obteve êxito como a sua primeira geração e deixou de ser fabricado em 2009. A fabricante também não deu continuidade a família, não deixando nenhum sucessor do modelo.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.