Registro de nomes de carros



Registrar o nome de um veículo não é tão simples como registrar um filho. Embora o sentimento deva ser bastante parecido por parte dos diretores de marketing, o processo é um pouco mais complicado e depende de patentes e diversos outros documentos que darão exclusividade à empresa.

Segundo a Chevrolet, atualmente existem cerca de 800 mil nomes de carros registrados, número bem maior que em 1985, quando havia 75 mil registros. Esses números refletem o mercado automotivo da atualidade, que está bastante aquecido e não dá sinais de enfraquecimento.



Quase todo o alfabeto já foi guardado por diversos fabricantes, que fazem de tudo para manter seus nomes, características e direitos de propriedade. Segundo a Nomen Deustchland, um bom nome não precisa ser mudado a não ser que tenha uma conotação ruim em determinado local. No entanto, alguns fabricantes insistem em mudar o nome de determinada linha de acordo com o país em que se encontram. Isso é viável somente até certo ponto e requer muito investimento em marketing e conhecimento da cultura local para que possa funcionar. Um bom exemplo disso são os veículos da Volkswagen como a Kombi, que também é conhecida como Samba Bus, Camper, Delivery Van, dentre vários outros.

Veja também:  Novo Chevrolet Onix 2020 - Preço, Novidades e Análise

O Fusca, também da Volkswagen, pode ser considerado um exemplo de sucesso na mudança de nome para o Brasil. O modelo era chamado de Beetle nos EUA e Carocha na Europa. Nesse caso, a mudança de nome ajudou tanto a marca que o Fusca acabou retornando vários anos depois de ter tido a sua produção descontinuada. Outro carro, outro modelo, mesmo nome e mesmo sucesso.



Por Ebenézer Carvalho

Inserir um comentário

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.