Fim do Motor a Combustão em Carros pode estar Próximo


     

Venda de Carros equipados com este tipo de motor pode acabar até 2035.

Um recente estudo produzido pelo instituto de pesquisa que monitora condições climáticas do mundo, a Climate Action Tracker, sugere que a venda de carros com motor movido a combustão deve acabar até 2035. Isso se dá ao fato de que, de todos os gases tóxicos que são responsáveis pelo crescimento do efeito estufa e, por consequência, o aquecimento global. Ao menos 14% dos gases tóxicos expelidos na atmosfera vêm da queima de combustíveis fôsseis, principalmente o da gasolina e do diesel.

Já a algum tempo o planeta tem sofrido com o efeito estufa, que é um fenômeno natural provindo do aquecimento térmico da Terra. No entanto, nas últimas décadas, a concentração natural dos principais gases isolantes como dióxido de carbono, óxido nitroso, metano e cloro-fluor-carboneto tem aumentado graças a interferência humana, com desmatamentos e queima diária e interrupta de combustível fósseis que aumentam exageradamente a poluição do ar, resultando na elevação de temperatura.

Veja também:  VW Up! 2017 - Preço, Versões e Ficha Técnica

Segundo uma pesquisa realizada pela cientista Carolyn Snyder, da Universidade de Stanford na Califórnia, EUA, e revelado pela revista “Nature”, o efeito estufa pode contribuir para um aumento bastante significativo na temperatura global no futuro, estima-se que podemos ter de enfrentar um calor entre 3 e 7 graus centígrados mais altos.

Justamente por esse motivo é que o desenvolvimento de carros ditos “verdes” ou “ecologicamente corretos”, em especial os elétricos, são uma necessidade para salvar nosso planeta. A ideia do instituto Climate Action Tracker é que os carros movidos a combustão deixem de existir por completo até 2050, mas descontinuar totalmente a produção desses veículos e encerrar as vendas em menos de 20 anos exigirá transformações radicais em toda indústria automobilística.

Veja também:  Cartão de Estacionamento para Idoso em Porto Alegre - Como Funciona




No entanto, o assunto é extremamente sério e deve ser levado a diante, não é à toa que em dezembro de 2015, líderes de diversas potências se encontraram em Paris para uma conferência a respeito do clima terrestre, na chamada COP21. O objetivo principal dessa reunião é manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 ºC.

Atualmente os maiores emissores de poluição por automóveis e caminhões com motores a combustão são: Estados Unidos, China, União Europeia, Índia, México e Brasil.

Pensando nisso, o Brasil assumiu o compromisso voluntário de reduzir em 37% suas emissões projetadas até 2025, aumentando sua contribuição em 43% até 2030 e, para manter o acordo, essas metas deverão ser incluídas na Lei 12.187/2009, como estabelece o PLS 750/2015, do senador Jorge Viana (PT-AC), que tramita na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

Basta agora aguardar se o Brasil e os demais países, assim como a indústria automobilística, cumprirão com a meta e até 2050 passaremos a “encher” o tanque de nossos veículos com eletricidade ao invés de gasolina ou diesel.

Veja também:  Novo Hyundai i30 2017 - Lançamento e Principais Novidades

Elis Nunes

Inserir um comentário