Novo Chevrolet Tracker: Detalhes e lançamento


     

Com o nome de Trax nos EUA, modelo ficou parecido ao Malibu e Cruze. Dianteira tem grade maior e faróis mais afilados; motor deve ser o 1.4 turbo.

A Chevrolet deve apresentar para o modelo Tracker no mercado brasileiro atualizações iguais ao que o SUV obteve nos Estados Unidos. O carro conta com uma baixa nas vendas devido à concorrência forte que sofre com o Renegade e o HR-V.

Os boatos na imprensa dão conta que o facelift deve chegar no Brasil no Salão do Automóvel de São Paulo, que será realizado no começo do mês de novembro deste ano de 2016. O Trax, como é denominado nos Estados Unidos, apresentou mudanças na frente e na parte traseira.

O SUV no mercado americano ficou semelhante com o Ford EcoSport, mesmo que o modelo tenha seguido a identidade visual que a marca adotou recentemente. A semelhança com o modelo da Ford se dá devido os faróis da Trax com luzes em Led e também a sua tomada de ar situada abaixo da grade frontal.

Veja também:  História do Volkswagen Gol

No seu interior, uma peça com maior elaboração entra no lugar do painel que veio do Sonic, que agora apresentam mostradores analógicos e um display digital configurável. Por dentro, o veículo agora ganha um estilo com maior requinte. Há também um sistema de entretenimento novo com tela de 7 polegadas que é compatível com os aplicativos Android Auto e Apple CarPlay.





De acordo com a configuração que for selecionada, o Tracker poderá vir com monitoramento de pontos cegos, um alerta para colisões frontais, dez airbags e aviso para mudança de faixa feita involuntariamente. Com isso, o interior agora se apresenta bem mais moderno e com melhor acabamento.

Com relação a seu motor que se encontra no mercado dos Estados Unidos, há opção de propulsor 1.4 Turbo com potência de 138 cv, 20,4 mkgf e um torque que varia entre 1.850 até 45.900 rpm. A transmissão do modelo é automática com seis marchas. O motor da SUV conta com uma sofisticação menor que o novo Cruze, pois não apresenta a injeção direta de combustível. O Sedã pode produzir 155 cv de potência e 24,5 mkgf.

Veja também:  Consórcio de Carros é Alternativa ao Financiamento

Ainda não há detalhes oficiais sobre a motorização do Tracker no mercado brasileiro. Caso venha importado do México, o modelo contará com o mesmo motor que é vendido nos Estados Unidos. Por outro lado, se ele tiver a fabricação na Argentina ao lado do Cruze, pode-se ter a unificação dos propulsores entre o sedã médio e o SUV compacto.

OSCAR ARIEL COLAÇO

Inserir um comentário