Uber pretende investir em frota de carros autônomos


     

Uber pretende usar veículos autônomos.

O Uber, que oferece o serviço de transporte urbano que ficou famoso recentemente, tem sondado diversas organizações do segmento de automóveis, segundo empresas deste setor, pois pretende realizar um grande pedido de veículos autônomos, sim, aqueles que se deslocam sem a necessidade de um motorista.

A empresa (Uber), que soma déficits, conseguiria fazer grandes economias ao cortar gastos com motoristas, ao iniciar o uso de veículos autônomos. Mercedes-Benz, Audi e as fornecedoras de componentes Continental e Bosch estão realizando projetos para carros semi-autônomos e autônomos.

Recentemente, uma publicação da Manager Magazin informou que o Uber realizou um pedido de no mínimo 100 mil sedans S-Class, da montadora Mercedes.

Já uma outra fonte do setor automobilístico informou que nenhum pedido foi feito diante da montadora alemã. Nem o Uber e nem a Mercedes quiseram dar informações sobre o boato.

Veja também:  Hyundai Elantra 2017 - Lançamento, Preço e Principais Mudanças

Empresários da indústria de automóveis contam que possuem um certo receio em manter acordos com companhias de tecnologia relativamente novas, pois podem ameaçar seus modelos de negócios, os quais se baseiam em venda e manufatura de veículos.

Os carros autônomos até um tempo atrás eram considerados um sonho longe de ser conquistado, mas com a busca por novas tecnologias e diversos novos investidores no setor, como a gigante Google, o projeto acabou se tornando viável e alcançando novas dimensões.

Veículos completamente autônomos não deverão ser disponibilizados até o ano de 2025 ou então 2030, devido à necessidade de adequações legislativas.





As montadoras também passaram a investir nessa tecnologia, pois cresce o medo de perder a corrida para empresas de tecnologia, e já até pensam em possuir a própria frota de carros autônomos.

Veja também:  Cartão de Estacionamento para Idosos em São Paulo - Como solicitar

O presidente da montadora BMW, disse que a geração atual está passando do hardware para os serviços e software. Com isso a empresa informou que se concentrará em carros autônomos e também elétricos.

O maior impedimento de viabilizar a ideia até o momento é o fato de não possuir um responsável no momento de um possível acidente. Este é o motivo que a legislação de todos os países exige um motorista presente fisicamente.

Porém, isso está bem perto de mudar. No mês de fevereiro, o governo dos Estados Unidos permitiu que o Google realizasse teste com carros sem motoristas.

Por Filipe Silva

Uber

Foto: Divulgação

Inserir um comentário