Citroen DS 4S – Novo Hatch Premium tem Design mais Tradicional


     

Novo carro foi apresentado na China e ainda não possui previsão de chegada ao Brasil.

Com semelhanças em relação ao DS 5LS, também da PSA, o DS 4S foi apresentado em Guanghzou, na China. O lançamento – projetado na França – tem a ver com o também recém-lançado DS 4, porém, com estilo ao mesmo tempo mais tradicional e próximo aos veículos hatch de nível premium. A pretensão é que o modelo seja o líder de vendas da marca no país, que terá exclusividade na sua comercialização.

A dianteira possui detalhe cromado no entorno da grade, que avança até os faróis. Os mesmos contam com três luzes de LED. Na parte de trás, as lanternas são muito simples se comparadas aos suportes das luzes frontais, porém, são bem ajustadas ao desenho do DS 4S. 

Veja também:  Lei do Farol Baixo volta a Valer nas Rodovias Brasileiras

No design, apenas duas protuberâncias desenhadas em frisos no capô e uma em cada lateral na altura das maçanetas. Ao final das portas, na porte inferior, um detalhe cromado em cada lado. A traseira é simples e totalmente lisa, com encaixe para a placa no para-choque.

Internamente também existe similaridade ao DS 5LS, mas destaca-se o acabamento em couro de cor salmão. O volante, redondo, tem um "lado" reto e possui quatro raios – dois finos e dois mais espessos com comandos de rádio, voz e temperatura. O painel conta com computador de bordo equipado com tela touchscreen de cerca de sete polegadas.





A PSA revelou que as versões terão três motores diferentes. Mas nenhum detalhe foi citado. A imprensa do país especula que serão motores 1.8, 1.6 e 1.2, respectivamente com 204 cv, 163 cv e o último e mais fraco com três cilindros. Entre os boatos, também há o que diz que todas as opções terão câmbio automático de seis marchas com alternativa de uso manual.

Veja também:  Novos Valores de Multa de Trânsito já estão Valendo

O valor para venda também não foi divulgado, bem como o início da comercialização. A produção será na cidade chinesa de Shenzhen.

Bruno Klein

Inserir um comentário