Assovesp/Sindiauto – estatísticas de vendas de carros, motos e caminhões usados em SP

Um bom lugar para se acompanhar como está, especificamente, o mercado de carros usados no estado de São Paulo, é o site conjunto da Assovesp (Associação dos Revendedores de Veículos Automotores no Estado de São Paulo) e da Sindiauto (Sindicato de Comércio Varejista de Veículos Usados do Estado de São Paulo). O endereço é http://www.assovesp.com.br/.

Todo começo de mês o site publica análises de  mercado, obtidos com os dados de suas revendas associadas, sempre comparando com o mês anterior.

E a análise é bem completa. Além de fazer comparações de vendas, ainda são reportados números como desvalorização média dos modelos, estatísticas de vendas por segmento (popular, flex, etc), dados como mercado de crédito e financiamento de veículos usados, além de traçar tendências de mercado.

5 comentários em “Assovesp/Sindiauto – estatísticas de vendas de carros, motos e caminhões usados em SP

  1. Prezados senhores, bom dia.
    Estou me manifestando pelo fato de ter adquirido um veículo da agência Lapenna, localizada em São Paulo, no ano de 2007. Comprei este veículo no Shopping de carro na época localizado na Av. dos Autonomistas em Osasco, pelo qual alguns lojistas locavam o espaço e comercializavam seus veículos.
    Acabei gostando de um carro, verifiquei a placa do mesmo pertencia a Curitiba-PR, embora seu KM estava muito baixo e o veículo cheirando novo, comprei o mesmo. O que vêm acontecendo ultimamente e eu não tinha sido informado pelo vendedor e que depois de 02 anos com este carro, resolvi trocar o mesmo por um modelo automático, onde estou realizando a substituição de garantia devido a este veículo eu ter financiado em 60 parcelas.
    Quando eu localizo o veículo que eu quero inclusive me proponho a pagar a diferença a maior a vista, qualquer lojista faz e aceita mas o que esta ocorrendo e que vêm me prejudicando ultimamente é o fato deste veículo estar cadastrado pela Checauto como veículo que antes de ter sido adquirido por mim, foi comercializado por um Leilão. De imediato os lojistas cancelam toda a transação. Na hora que eu comprei este veículo eu não tinha sido informado, porém todos os lojistas falam que embora o carro esteja em estado de conservação muito bom, eles alegam que este carro não possui um bom precedente. Eu sei que a Checauto é uma Empresa prestadora de serviços mas a minha pergunta uma vez que eu não tinha sido informado pela agência fica no ar, quem vai reparar pelo meus danos materiais, uma empresa que cadastra toda a passagem do veículo por segurança do lojista ou a loja onde eu comprei este veículo pela qual não me avisou deste fato me alertando que caso eu trocasse este veículo não conseguiria trocar por outro.
    Fico no aguardo de uma comunicação a respeito ou uma orientação porque a parte prejudicada no momento é só da minha pessoa.
    Vale ressaltar que eu não estou condenando a Checauto por nada, acho um serviço muito essencial e bem planejado apenas gostaria de uma orientação.
    Marcelo

  2. Marcelo, a responsabilidade certamente é da Lapenna se esta omitiu a informação de que o carro não podia ser objeto de outra transação, ou que a anterior (leilão) depreciaria o bem. O c[odigo de defesa do consumidor lhe dá o direito a acionar a empresa para obter abatimento no preço, devolução do que foi pago ou a troca por outro bem. O melhor caminho é o huizado especial cível se o valor do carro não ultrapassar o limite de 40 salários mínimos, caso contrário a ação deverá correr na justiça comum com a nomeação de um advogado necessariamente, podendo ser pleiteado inclusive perdas e danos, inclusive os morais. Quanto a esta “checauto” se os seus serviços incluem “diminuir” sem qualquer motivo justificado o valor de veículos adquiridos em leilão por apenas este fato, lesando aqueles que comprarm nestes locais de boa-fé, para favorecer comerciantes, penso que sua atuação possa ser questionada na justiça, inclusive com o auxílio imprescindível do ministério público, p ois se trataria de regular interesse difuso e coletivo.

  3. Uma dúvida Clev, já que não sou advogado. Um carro que foi a um leilão já passou por registro de gravame e certamente já teve um mandado de busca e apreensão ou reintegração de posse. Esses dados, mais o ato do leilão (que tem inclusive edital e é publicado em diário oficial, se não me engano), são todos públicos, registrados em catório, correto? Ou estou enganado?

    Sendo assim, a Checauto estaria apenas coletando num mesmo lugar informação que já é pública? Neste caso, em sendo pública a informação, haveria alguma responsabilidade da revendedora?

  4. Pode ser por despachante ou por programas como o Checkauto. Se já houve restrição judicial, aparece no histórico do carro.

Inserir um comentário